sábado, 24 de janeiro de 2009

The All Star Project

Os The All Star Project foram uma das mais agradáveis surpresas da música portuguesa nos últimos anos. Originária de Leiria, esta banda emprega uma sonoridade alternativa, navegando por estilos diferentes que se unem num só, e muito bem!

O primeiro álbum “Berlengas Connection” deu início a um percurso que se vislumbra longo. As guitarras, a bateria e o teclado empregam sons inovadores que nos transportam para um filme passado algures entre Marte e Júpiter (não necessariamente entre estes dois planetas, mas dá jeito nomear alguns, para que a metáfora funcione. Podia dizer entre Vila do Conde e Alfornelos, mas a mesma não faria muito sentido).

Depois deste parêntesis galáctico, talvez seja mesmo melhor arranjar uma explicação mais plausível que defina o género musical dos The All Star Project. Influências várias, passando por Pink Floyd, The Beatles, Spiritualized e My Bloody Valentine. Todos deram uma forte ajuda na construção do seu mais recente álbum “Your Reward… A Bullet”, um álbum claramente pós-rock. Porém, este ano de 2009 contará com um novo trabalho dos leirienses que assinaram recentemente contrato com a produtora independente norte-americana “Forgotten Empire Records”, permitindo um alargamento a novos mercados, para além do alemão, belga, inglês e japonês, já explorados pela sua editora “Rastilho Records”.

“Desconhecidos localmente, aproveitados globalmente” poderia muito bem ser o slogan desta banda. A verdade é que os TAP foram convidados a colocar a sua música “Empire” num filme do Andy Warhol. Sim, é verdade, não leram mal. O convite surgiu pelo IMAGO, Festival Internacional de Cinema, e consistiu em criar uma banda sonora original que seria executada ao vivo durante a rodagem do filme e que servisse de abertura ao festival em 2007. Assim foi.

A progressão dos TAP está a ser visível e, caso disso, são muitos dos prémios que já receberam. O segundo EP, “Something to do with death”, lançado em 2006, foi escolhido pelos ouvintes da RUC – Rádio Universidade de Coimbra como o melhor português do ano passado. E o auditório considerou “The third man” o quinto tema nacional, sendo que o melhor foi “Fácil de entender”, dos alcobacenses The Gift. Com grande expressão na Antena 3, os TAP vão subindo degraus seguros rumo ao estrelato.

Numa iniciativa inédita, a banda estabeleceu uma parceria com o histórico do futebol nacional, o
Sport Clube Leiria e Marrazes. Publicidade nas camisolas em troca de música, é este o acordo. E parece estar a dar resultado, quer para um lado, quer para o outro. Para breve, está a criação do Hino do clube.

Acima de tudo, a música portuguesa está de parabéns! Novos valores se apoderam do mercado. Pena que não sejam tão divulgados quanto a sua qualidade o permite. Um projecto com todas as estrelas.

Casting Stars


E com a grande ajuda da excelente entrevista feita pelo meu amigo Gaspar! Obrigado! Ah, e visitem a
Rubrica Maltratada, um excelente blogue!

2 comentários:

Pedro Pinto disse...

:D Gostei da review... mas não gostei das mentiras...

Posso ter feito uma entrevista... mas daí a ser excelente... :P

Ah já agora. Eles não fizeram a música "Empire". Eles fizeram uma banda sonora para o filme "Empire", um filme sem som de Andy Warhol.

Abraço!

Anónimo disse...

Banda sonora para um filme sem som? Muito bom!