terça-feira, 14 de abril de 2009

Benfica e o Estado Novo

- Um excelente artigo do meu irmão que desmistifica a ligação que se faz entre o Benfica e o Estado Novo -

“O Benfica era o clube do regime!”. Frase esta que já todos ouvimos. Será mesmo que o Benfica era o “preferido” de Salazar? Será mesmo que era este clube patrocinado pelo Estado? Esta ideia correu de tal forma o país que se tornou numa verdade quase absoluta. E, por incrível que pareça, aparece hoje um sportinguista a repor a verdade dos factos.

Começando pelo início, o Benfica era um clube que muito jeito dava ao Estado Novo. Relembrando, este regime vigorou em Portugal entre 1926 e 1974, período que abrange as duas maiores vitórias deste clube lisboeta, a Taça dos Campeões Europeus, nas épocas de 60/61 e 61/62. Ora, todo o protagonismo que o Benfica tinha no panorama internacional nesta altura, bem como a presença do grande Eusébio no seu plantel, fez com que o regime se aproveitasse deste facto para reforçar a sua política ultramarina. Como diria o outro, foi precisamente aqui, que se criou esta suposta ligação, fazendo do Benfica o clube do Estado.

Nada mais errado, posso dizer. E há uma série de factos que o comprovam. O Benfica, num país em que não existia democracia, era conhecido pelas suas altamente concorridas e entusiásticas assembleias-gerais bem como pela eleição livre dos seus dirigentes, em que o povo (porque o Benfica, e bem, é conhecido como o clube do povo) podia expressar livremente as suas ideias e ambições. Mais posso dizer. Não querendo criar aqui um novo rumor, mais ligações podemos fazer ao FC Porto e ao Sporting CP com o Estado Novo do que com o SL Benfica. Vejamos que o antigo estádio das Antas foi inaugurado dia 28 de Maio de 1952 e o antigo campo do Sporting era conhecido como o Campo 28 de Maio, data esta que era comemorativa do golpe de estado que pôs fim à 1ª República e que deu origem ao Estado fascista. Este campo foi posteriormente ocupado pelo Benfica e renomeado Campo 5 de Outubro.

Outras importantes referências podem ser feitas a factos que refutam completamente qualquer ligação das Águias ao regime. O facto de bandeiras do Benfica terem sido usadas em vez das então proibidas bandeiras da antiga União Soviética em manifestações populares após a vitória dos aliados na II Guerra Mundial é um exemplo bastante elucidativo. O silenciamento do antigo hino do Benfica “Avante pelo Benfica!”, a proibição de usar a palavra “vermelhos” para fazer referência ao clube nos jornais ou até mesmo o facto de 64% dos campeonatos ganhos pelo Sporting terem sido ganhos com Salazar no poder, são factos que não podemos deixar passar.

Não sendo o meu objectivo dizer qual era, ou se havia, o clube preferido do Estado Novo, há mais duas situações que eu penso serem importantes. A primeira é o facto de o Benfica ter sido obrigado a jogar a final da Taça de Portugal em casa do seu adversário (Vit. Setúbal) apenas um dia após ter jogado a final da Taça dos Campeões Europeus em 1961. A segunda é uma situação que ocorreu na época de 1954/55 em que o Benfica, apesar de ter sido campeão nacional, não foi indicado para ir à Taça dos Campeões Europeus, tendo sido preterido em favor do Sporting, uma vez que esta era uma decisão das autoridades nacionais.

Independentemente de eu ser um fervoroso adepto leonino, sou ainda maior adepto da liberdade e da verdade. Parece-me inquestionável agora que o Benfica não só não era o “Clube do Regime”, como era um clube que lutava contra o regime e é injusto que se pense o contrário num país em que tanto se lutou pela Liberdade.


Pedro Pereira
Quinze

17 comentários:

Pedro Pereira disse...

O melhor texto do teu blogue, deixa-me que te diga :)

Ângela disse...

Pedro: sportinguista?! Eiiii! :)

André Pereira disse...

Pois... o meu irmão tem esse defeito :P

Ângela disse...

Cada um com seus defeitos! Eu, defeito de "simpatia de clube de futebol" não tenho :)

Quanto ao resto, sim, o texto está muito bom ;)

A. Seiça disse...

Simplesmente brilhante...
Sr. Pedro, tenho que lhe dizer que está muito bom este texto. André tens um mano ás direitas... :)

André Pereira disse...

Pois tenho! eheh

Grande abraço Seiça!!

Pedro Pereira disse...

Obrigados :)

Nuno disse...

Muito bom...
Parabéns!

Pedro disse...

Obrigado! :)

disse...

Muitos parabens... n imaginas a quantidade de gente a quem já mostrei este texto quando a discussão surge sobre se o Benfica era o "clube do regime".

Pedro disse...

Mais uma vez, muito obrigado :) Fico satisfeito por desfazer dúvidas que ainda persistem em relação a este tema.

maia disse...

E nós somos todos burros podias estudar melhor a historia recente de PORTUGAL. Nunca no porto prestamos vassalagem ao regime muito pelo contrário. Se sabes tanto podes me explicar porque as grandes vedetas do slb dos anos 60 nunca sairam do slb. Devia ser por causa do ordenado. Alguns até morreram na miseria como o BOM GIGANTE que nem tinha dinheiro para dar comer aos pombos.

André Pereira disse...

Caro/a Maia,

Antes de responder ao seu comentário, ponderei muito se o deveria fazer ou se, simplesmente, o deveria deixar na ignorância que tão magistralmente ostenta ao vomitar essas palavras. Ora, respondo-lhe apenas por uma questão de respeito e da seguinte forma: informe-se. Quanto à ignorância, julgo que se manterá durante algum tempo.

Com os melhores cumprimentos,

Filipe Pina disse...

Pobrezinho do benfica...
confirma-se o que estava à vista de todos, o benfica sempre foi um clube perseguido e prejudicado.
ainda bem que aparecem estes excelentes artigos, devidamente fundamentados, a repôr toda verdade!!
Proponho a realização de um documentário a mostrar esta vergonha nacional, andam a enganar o povo (mais uma vez), afinal a colectividade do regime não é do regime, é do povo pah!!

Anónimo disse...

Depois de ler todas as palavras do texto resta-me lembrar às pessoas que nada entendem de simbologia, como o caso do autor do texto, que, não é por acaso que o simbolo do benfica é uma águia... o que vem reforçar o caratér demagogo do texto! Para quem não sabe a águia é um dos simbolos dos fascismo! Relembro só que os "grandes" titulos ganhos pelo benfica na europa foram ganhos durante a ditadura, logo, teem tanta credibilidade como o regime da época. O mais cego é aquele que não quer ver...
Deixo só uma pergunta cuja resposta já foi dada à muito: Porque razão depois de deposto o regime do Estado Novo o benfica nunca mais foi suficientemente competitivo quer em portugal quer no estrangeiro?!?!

Pedro Pereira disse...

Caro anónimo, só de ler a sua primeira frase, fiquei muito contente uma vez que trouxe animação a um dia que por si só não estava a correr muito bem. O facto de afirmar inequivocamente que o facto de o símbolo do Benfica ser uma águia liga o clube univocamente com o Estado Novo é de uma inteligência acima do normal, até porque o Benfica tem uma águia no símbolo desde 1904, 29 anos antes do início do regime. Só falta dizer que o Porto por ter um dragão no símbolo faz dele o clube de um qualquer regime praticado na Terra Média. Quanto à competitividade da equipa na Europa, basta lembrar que o Eusébio deixou de jogar futebol há muitos anos, e que as equipas não são eternas. Quando tiver argumentos suficientemente credíveis e baseados em factos, cá estaremos para discutir.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Aqui deixo uma imagem que vale por mil palavras para quem afirma que o Porto NUNCA apoiou o regime fascista:
http://a2.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-snc7/74756_342285669169054_104720666258890_945873_1982480648_n.jpg

A história é feita de factos e não de mentiras muitas vezes repetidas. Obrigado por este blog. Sou benfiquista mas acima de tudo defendo a liberdade e justiça, e tiro o chapéu a este "rival" sportiguista, aliado neste campeonato maior: a verdade! :)