segunda-feira, 3 de maio de 2010

Uma estranha modalidade chamada futebol.


A grande lição que devemos retirar da jornada de ontem é a de que nós somos todos uns parvos. O FC Porto atingiu a sua pior classificação nos últimos anos, perdendo o acesso à Liga dos Campeões, e qual é a reacção dos adeptos, dirigentes e jogadores? Festejarem com foguetes e champanhe; o Sporting perdeu contra a Naval, terminando o campeonato em quarto lugar, e qual foi a reacção? Euforia! O Benfica manteve o primeiro lugar, o melhor ataque, a melhor defesa e o melhor marcador e qual a reacção? Tristeza.

O futebol é um jogo de sentimentos, mas há que saber senti-los! Se é para chorar, ao menos que seja por ter apanhado com um pedregulho na auto-estrada, que é uma coisa que acontece regularmente a quem anda de carro. Todos os condutores sabem isso. Na auto-estrada, para além de ter que se andar sempre na faixa do meio, também se pode apanhar com pedregulhos no vidro da frente. Com sorte - e é preciso muita! - ainda se pode apanhar com uma garrafinha de champanhe no capot. Mas isso é muito esporádico, só mesmo em dias de festa. Chorar por isto é de homem!

Tanto como é de homem rir do seu próprio insucesso. É de homem, sim senhor, mas daquele tipo de homem que tem um colete de forças branco num quarto almofadado do Júlio de Matos. Rir e festejar assim é de homem. Maluco. Mas homem.

Em relação ao Braga - Paços de Ferreira, acho que o guarda-redes do Paços de Ferreira fez bem em aceitar o cheque. O Sporting - Naval não vi e, só por isso, já o considero como o melhor jogo do Sporting. Quanto ao FC Porto - Benfica, acho que o FC Porto foi claramente beneficiado. Dá para ver, claramente, que o FC Porto jogou com mais bolas do que o Benfica. O Benfica tinha aquela bola… de futebol. O FC Porto tinha essa e mais umas quantas de golfe. Eu não quero parecer um intelectual do desporto, mas julgo que o futebol joga-se com uma bola de futebol. Acho eu! Não quero estar a dizer coisas que não sei. Mais uma vez, notei aqui uma contradição, não nos sentimentos, mas na modalidade. O FC Porto jogou futebol com bolas de golfe e ficou feliz, eufórico, extasiado com a sua pior classificação dos últimos anos. Algo está mal no futebol português.

6 comentários:

Rui Bastos disse...

Eu assisti a algo deste género, um colega meu, sportinguista desde sempre, quando a Naval marcou, veio festejar o golo do Porto!

André Pereira disse...

É a pequenez de quem não sabe o que é.

Um abraço

Anónimo disse...

Não te esqueças que a pior classificação do porto nos últimos 25 anos é a classificação média do benfica nesse mesmo período :)

André Pereira disse...

Talvez, nem sequer coloco isso em causa. A verdade é que, este ano, o FC Porto teve a sua pior classificação. E foi só isso que eu disse :) Espero que a partir de agora o Benfica suba a média.

Abraços ou beijos (consoante o género de Anónimo que for)

Pedro disse...

Acho perfeitamente normal os rivais gostarem das desgraças dos outros. Não tem a ver com uma questão de justiça ou não, isso penso que nem se põe em causa. Mas se fosse o Sporting em 1º e o Benfica em 4º queria ver o que diziam a respeito do Braga ou do Porto. Portanto, faz-se demasiado alarido por uma coisa sem jeito nenhum. A única coisa fora do normal que aqui se passa é a selva em que vivem determinados adeptos do Porto, e também alguns jogadores e respectivo treinador e presidente. De resto, Sporting e Porto a apoiar Braga, perfeitamente normal. O mesmo aconteceria em caso contrário.

André Pereira disse...

Acima de qualquer sentimento "anti", eu sou do Benfica. O mesmo não acontece com grande parte dos adeptos do FC Porto, principalmente, do Sporting. "Estereotipadamente" falando, os do FC Porto são uns animais que dividem o país em FC Porto e resto. Adoram o seu clube, veneram e são capazes de matar por ele. Os do Sporting vivem da desgraça do Benfica. Simples.