sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Avançou Portugal (parte 4)

PCP-PEV: Ocupa a posição que mais se adequa às suas políticas: a última (dentro dos cinco grandes partidos). Se há coisa que não entendo nos militantes do PCP é a raiva com que transmitem as suas ideias. Parece que estão sempre zangados, fecham as mãos, rangem os dentes, espumam pela boca, dão murros no ar e gritam cânticos de (des)ordem. Esta militância excessiva pela defesa do proletariado e pela constante atribuição de culpas a quem está no poder é algo que revela uma falta de inteligência e estratégia tais que nem merece um contra-argumento. De qualquer das formas, há que realçar a liderança (há liderança num partido comunista?) de Jerónimo de Sousa, que trouxe uma comunicação mais cuidada ao partido.

.

Abstenção: é uma vergonha o elevado número de pessoas que não vai votar. É preciso uma exagerada dose de ignorância, burrice e debilidade para não cumprir um dever cívico. O voto é a forma mais directa que nos aproxima das decisões políticas para o nosso país! E 39% dos eleitores portugueses decidiram abdicar desse direito/dever. Pois bem, que o façam. Infelizmente, não há uma lei que obrigue as pessoas a votar. Tal como não há nenhuma lei que impeça essas mesmas pessoas que não votam de fazer parte de sindicatos, de movimentos grevistas, de manifestações. Mas devia. Quem não vota deveria entrar numa lista negra. As pessoas que tivessem o nome nessa lista deveriam ser proibidas de exercer qualquer outra actividade que estivesse relacionada com a política.

.

(a última parte será um resumo bem espremidinho das Legislativas)

.

Imagens: DR

7 comentários:

Hugo Aguiar disse...

Domingo passado votaram 5.7 milhões de eleitores, em 2005 foram apenas mais 50 mil. A taxa de abstenção sobe ao mesmo ritmo que aumenta a desorganização e a falta de capacidade para actualizar dados.
Há cada vez mais eleitores "fantasmas". Pessoas que já faleceram ou que já emigraram. Aliás há distritos como Vila Real com mais eleitores do que habitantes. Na verdade, existem 9.3 milhões de eleitores mas estima-se que em Portugal só haja 8.6 milhões de adultos...

E ainda podemos pensar nos internados, militares e outros... com jeitinho chegamos aos 25% ?

André Pereira disse...

De facto, o sistema eleitoral não está perfeito. Longe disso! E esses eleitores "fantasmas" são um bom exemplo disso. No entanto, parece-me que não há esforço para que se corrijam esses erros. É muito mais "cómodo" para os partidos ter pessoas a votarem neles (mesmo que poucas pessoas) do que correr o risco dessa percentagem de votantes diminuir (isto num cenário em que a abstenção diminuisse consideravelmente).

Abraço

Pedro disse...

Caro Hugo, para mim, mesmo que a abstenção fosse 10%, já era uma vergonha!!! Devia ser 0. As pessoas têm que tomar consciência que este é o país delas e que só podem protestar e reinvidicar os seus direitos se também cumprirem os seus deveres. É simplesmente vergonhoso para um país que viveu tantos anos sob alçada do fascismo.

André Pereira disse...

Apoiado! Sem qualquer reparo.

Abraço

Hugo Aguiar disse...

Viva Pedro,

Com o meu comment quis focar o facto do nosso sistema eleitoral ser atrasado relativamente às necessidades actuais.
A verdade é que neste momento votar não é para todos.
Para poder votar foi preciso estar bem de saúde, não ter nenhum problema de última hora que me fizesse ficar em Lisboa e ter as condições financeiras para me deslocar à minha freguesia de recenseamento.
Não tiro com isto a razão da vossa opinião. Votar (para quem pode?) é um dever cívico.

Abraço

P.S.: No meu primeiro comentário esqueci-me de referir aqueles cidadãos que este ano foram recenseados automaticamente e nem souberam.

Anónimo disse...

Caro André, o facto de classificares como "raivosos" e pouco inteligentes os militantes e simpatizantes do PCP só demonstra a tua própria raiva por essas mesmas pessoas, o que te torna um extremista e uma pessoa pouco inteligente, pois acusar os outros de pouca inteligência é um caso grave de parco poder argumentativo(o que faz com que eu, ao acusar-te de pouco inteligente, me torne tb num deles, ou seja, uma pescadinha de rabo na boca). "Cânticos de desordem, espumar pela boca, murros no ar, punhos cerrados"? Estás a falar do Sócrates ou do Portas? Não cheguei a perceber...Diria mais, acho a tua análise "pouco cuidada".

André Pereira disse...

Anónimo,

Eu não nutro qualquer raiva pelos militantes ou simpatizantes do PCP, PNR, MEP, PS, PSD, Verdes ou qualquer outro partido. Apenas tenho as minhas ideias (que não se coadunam com a visão limitada de nenhum partido) e, consequentemente, considero-as como as melhores. Aí sim, sou um extremista das minhas ideias! Respeito o facto de haver pessoas com ideias diferentes das minhas, mas há ideias e atitudes que não me merecem qualquer respeito. Ou por as considerar como erradas e absurdas ou simplesmente por as considerar pouco inteligentes.

Grande parte dessas é defendida pelo PCP. Não as vou enumerar, mas desafio-o a trazer a este blogue propostas de medidas/ideais comunistas para as discutirmos. Terei todo o gosto em discuti-las. Abrirei um novo post e faremos uma espécie de fórum. O que me diz? Só haverá uma regra: não utilizar as palavras "proletariado", "camarada", "trabalhadores" e "capitalismo" mais de 5 vezes na mesma frase. Combinado?

Abraço